sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Barquinho de papel.


Vai meu barquinho de papel.
Navega dessa poça d’água ao oceano.
Corre mundo, vê os encantos.

Vai meu barquinho de papel.
Papel em branco.
Para ser escrito no teu viajar.

Vai meu barquinho de papel.
Veleja corajosamente pelo rio da vida.
Aprende se possível sem criar ferida.

Vai meu barquinho de papel.
Leva contigo minha alma.
A bordo dessa nau sem véu.

Você e ela a navegar ao léu.
Entre o clarão do Sol.
E o brilho lunar.

Vai meu barquinho de papel.
Levando consigo minha alma.
Pela vida afora em plena calma.

Sem pressa de viver.
Sem pressa de aprender.
Sem pressa de morrer.

Vai meu barquinho de papel.
Papel em branco.
Como minha alma menina.

E no fim da rota.
Roto tu e ela.
Não te desanima.

Descansa eternamente entre as estrelas.
Deixa minha alma se entreter com os cometas.
E pela eternidade sejam pares.

3 comentários:

.solange disse...

As últimas três frases me fizeram lembrar o pequeno principe qdo voltou para o seu planeta, seu sorriso entre as estrelas, ouvido pelo aviador aqui da terra...
Beijos

Coloquei um link do seu blog na barra lateral do meu blog, pode ser?

Poemas e encantos disse...

Claro e agradeço querida. bjus

Anônimo disse...

Amo meu barquinho