quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Fim

























Hoje entendo o fim

De todas as coisas o fim.

O murchar das rosas.


A relva amarelando.

A pedra se desgastando.

Os rios que secam.

O gelo que derrete.

A terra em erosão.

As mãos que enrugam.

A criança que adormece para sempre.

Os sóis que explodem e escurecem.

Hoje entendo o fim.

Não como  o termino fatal.

Mas, somente uma passagem de estados.

Uma mudança e uma transformação

Que se num ponto desaparece

Em outro aflora com novo esplendor de vida.

Nenhum comentário: