terça-feira, 9 de abril de 2013

Bruxas


Bruxas

Da lama do encanto da ilusão
Nascem os sonhos ilógicos, inusitados, cheios de sofreguidão.
Seres que nunca vi povoam minha mente
Treme suado e amedrontado meu coração.

Donde conheço essas aparições?
Que me perseguem incansavelmente
Noite e dia alternadamente.

Vejo-as pelos cantos dos olhos
Sobrevoando o telhado da casa em noites de lua cheia.
Elas sorriem para mim
Em pavoroso esgar de prazer me convidam
A com elas partir.

Sento e choro
Medo e vontade se digladiam
Estancadas no ar, esperam, minha decisão
Mas, o medo maior que a vontade
Prende-me ao chão.

E seguras por cordas mágicas no espaço
Elas sorriem e partem em algazarra
Quando vão deixam em pústulas meu coração.
A parte de mim que as desejam
Em sua total liberdade
Em seus poderes.

Magia ou ficção?                           

Nenhum comentário: