quarta-feira, 14 de março de 2012

Eu não.

Eu não.

Nasce o amanhã.

Eu não renasço.

Nasce o Sol.

Novo dia.

Eu não renovo.

Nascem filhotes humanos ou não.

Eu não crio ou procrio.

Recomeça o dia.

Eu não recomeço.

Novos sons.

Eu silêncio...

Novos sabores.

Eu não os provo.

Novas visões.

Eu não as vejo.

O futuro chegou.

Eu estou preso ao passado...

Com algemas de saudade...

Com cordas de solidão...

Com correntes de covardia...


Um comentário:

juniorget disse...

gostei deste muito profundo e ao mesmo tempo bastante atual para nossa vida louca que estamos inseridos.