segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Somos diferentes e iguais. Contraditórios e complementares.



Destemidos seres que enfrentam
A tresloucada sociedade humana
Que em riso de escárnio e humilhações,
Espezinham o que lhes não parece indubitável,
Os que não aceitam os ditames da certeza social,
E pela opressão tenta separá-los.

Dementada gente tola e imbecil,
Que atiram, nos outros, seus falsos pudores
Onde em quatro cantos fechados fariam
Tudo o que rotulam de abominável.
Lamentam pelos seres que gritam abjetos!
E enciumados e ensandecidos, partem para destroçá-los.

Essas criaturas divergentes
Em seu amor maior,
Em sua falta de separação,
Unidos por um afeto inabalável,
Frente a qualquer situação intolerável
Ainda se abraçam... E se amam.

Pois, inexiste o que separe
A Verdade da Vida,
Os espíritos que se deparam,
Depois do vagar no espaço,
Dos neons na erraticidade,
O encontro de almas gêmeas.

Mesmo que aos olhos mortais e pré-conceituosos
Sejam seres diferentes e contraditórios nos corpos que habitam,
Nos abissais labirintos da psique
No centro emocional de suas essências,
Diferentes e iguais, contraditórios e complementares,
São Um.

2 comentários:

Clayton • The Funky Tough Guy disse...

Por isso que somos seres únicos e imprescindíveis no teatro da vida...

ah sim, colocarei seu blog na minha lista de blogs do Hackeando a Matrix...uma pequena troca de favores ;)...otimo blog o seu!

Krol Rice Chacon disse...

Belíssimo texto!
Sempre bom te ler,
abraço!

http://krolrice.blogspot.com