quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Anjo torto.







Quem sabe ser um anjo possa ser uma opção.

Certo, um anjo sem asas, sem vôos, mas um anjo.

Um anjo comum.

Desses que a gente esbarra na esquina.

E nem sabe que é um anjo.

Um anjo com defeitos.

Não de fábrica.

Mas, de uso.

Contudo ainda um anjo.

Um anjo com rugas, cabelos brancos, dentes amarelados pelos tempos.

Porém um anjo.

Para quem ele estende a mão.

Para quem ele ajuda.

Para quem ele ampara.

Para quem ele escuta.

Para quem ele cede o ombro ao choro.

Para quem ele alimenta.

Para o solitário que ele visita.

Para quem dele recebe o remédio.

Para quem dele recebe seu amor.

Um anjo.

Um anjo torto.

Que ao olhar a tantos.

Enche-se de pranto.

E pede socorro ao seu próprio anjo.








Um comentário:

Zohaib Sunesra disse...

I really Like Your blog, you have really good and interesting articles keep it up of good work :)