quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Eu quero fazer poesia.



Eu quero fazer poesia.

Poesia profunda que toque as fibras das almas.

Poesia que embeleze a vida.

Que flua entre os pensamentos do dia.

Que se apresente nas horas de agonia.

Eu quero fazer poesia.

Que libere a mágoa do coração.

Que afaste a tristeza e a solidão.

Que traga alegria a quem as ler.

Quero fazer poesia que faça diferença.

Que mude o leitor para melhor.

Que regue as sementes de amor, bondade, caridade.

Existente em toda a humanidade.

Eu quero ser importante como aquela que deixou uma mensagem.

Nem que seja pequeníssima de paz e amor.

E que no momento difícil você se lembre.

E sua alma finde com a dor.

Poesia de farmácia.

Farmácia de alma.

Farmácia de ser.

Farmácia de ter.

Luz espiritual.

E não somente a ilusão material.

3 comentários:

Marinha disse...

Já fazes poesia, querida. Escreves com alma e isso gera identificação e acolhimento a quem passa por aqui.
Bjo e um lindo início de semana.

conceição fittipaldi (Mallika) disse...

Muitoooooooooooo obrigada. Você é extremamente generosa.
Um beijo no coração.

Anônimo disse...

Se a Poesia voa como um pássaro para onde vais? se vai para o sul ou para o norte eu nao sei, mas sei que o vento que sopra a doce poesia continua a soprar até o fim de minhas inspirações, até o fim de minha vida.