domingo, 17 de abril de 2011

Mãe.

Mãe



Senta aqui comigo minha criança.

Fala-me de como foi teu dia.

Deixa-me afagar teus cabelos.

E tuas mãos tocar te preenchendo de alegria.



Cheguei.

E tua solidão diminui.

Abraço-te com muito carinho.

E te estalo nas bochechas um beijo demorado.



Deito na tua cama.

Ou encosto minha cabeça ao teu leito.

Ouço todas as tuas reclamações.

Quase sempre as mesmas de ontem, anteontem, transontonte.



E as ouço como se fossem novidades.

Com paciência de quem sabe que assim é e será.

Às vezes cansadas vagueio e me vejo em apertos a te responder o que não ouvi.

Mas, a maioria das vezes nem notas estás, ocupadas em falar o que não pôde durante o dia.



Conta-me da tua infância longínqua.

Dos teus pais, avós e irmãs.

E parece que os conheço com seus defeitos e sabedoria.

E eles fazem partem da minha vida.



Banho-te.

Visto-te.

Ponho-te na cama.

Ainda fico um pouco contigo.

E somente quanto os meus olhos fatigados pelo cansaço.

Percebes que estou a dormir em pé.

Abençoas-me e me deixas ir.

E te digo:

Benção Mãe!

3 comentários:

Buana disse...

Lindo d+, estou chorando ate agora,
parabéns

Buana disse...

Lindo, um dos mais lindos que ja Li na vida, emocionante e verdadeiro, quem não viveu essa cena, viverá..
PARABÉNS

conceição fittipaldi (Mallika) disse...

Fico muito tocada com teus comentários. Obrigada mesmo!
Abraços fraternos.