domingo, 27 de março de 2011

A rosa.



Foi a mais bela rosa vista.

Retiraram-na imediatamente do convívio do jardim.

Separaram-na de suas irmãs não tão ditosas.

Colocaram-na numa redoma de vidro para que não sofresse o abalo dos ventos.

A temperatura era controlada para não lhe fragilizar as pétalas.

E foi a mais bela rosa de todos os tempos.

Sem nenhuma imperfeição.

Viveu o tempo que as rosas vivem.

Amarelou.

Murchou.

Morreu.

Como tudo morre ao seu tempo.

E foi lançada a terra.

Contudo, não viveu.

Não viveu o conviver com suas irmãs.

Não sentiu o perfume de outras rosas.

Não lhes ouviu o burburinho.

Não foi fecundada, não amou.

Não foi acariciada pelos ventos.

Não sentiu a chuva.

Nem o calor do Sol.

Era só mais uma filha da Terra.

Que deveria ter tido liberdade.

Mas, o medo de que fosse ferida e magoada.

Fez com que vivesse seu tempo numa redoma de vidro.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Ser feliz é...

Dizem que ser feliz é:

Ver o por do Sol.

O multicolorido das nuvens nesse momento.

As flores abertas num grande jardim.

O rosto da pessoa amada.

O sorriso dos filhos.

Mas, o cego que nada disso vê, também é feliz.



Dizem que ser feliz é:

Pode caminhar ao amanhecer na praia.

É viajar pelo mundo.

É escolher seus caminhos.

E correr pela beira mar.

Mas, há quem não tem pernas, e também é feliz.



Dizem que ser feliz é:

Poder viajar pelo mundo.

Ter uma bela casa.

As melhores roupas.

Belas jóias.

O carro mais badalado do mundo.

Mas, quem é pobre também é feliz.



Dizem que ser feliz é:

Poder ouvir o louvar a Deus em cantos.

E ouvir o assovio do vento nos campos.

O trinar dos pássaros.

Curtir o som da chuva na janela.

Mas, quem é surdo também é feliz.



Dizem que ser feliz é:

Ter um grande amor.

Uma família unida.

Muitos amigos.

Muitas pessoas ao seu redor.

Mas, a o que escolher viver longe de tudo isso, para servir, e é feliz.



Fica então a pergunta o que te faz feliz irmão?

quarta-feira, 23 de março de 2011

Esperança.


 


Há! Se fosse de novo criança.

Pegaria carona numa pipa gigante.



Atravessaria as nuvens.



E chegaria ao céu.



Pediria a São Pedro para entrar um pouco.



E falar com Deus.



E ele abriria os pesados portões.



Cobertos de nuvens brancas.



E me levaria a presença do Chefe.



Na sua frente dentro do bolso de menino.



Retiraria uma esperança de longas asas verdes e pernas compridas.



Pediria a Ele que enchesse o mundo de esperanças.



Para que não houvesse tanto choro.



Tanta tristeza.



E sim, a certeza de que amanhã o céu seria mais azul.



E a vida mais leve.





(obs: esperança espécie de gafanhoto completamente verde)

sábado, 19 de março de 2011

Quem lança...

Quem lança...



Quem lança, lança algo, em busca de alguma coisa.



Quem lança a rede ao mar busca apanhar o peixe.



Quem lança solidariedade busca auxiliar ao próximo.



Quem lança amizade busca companhia.



Quem lança sinceridade busca verdade.



Quem lança trabalho busca vitórias.



Quem lança boas palavras busca ensinar bons conselhos.



Quem lança boa vontade busca ajudar quem precisa.



Quem lança paz busca harmonia.



Quem lança amor busca a Luz do Criador.



Quem lança, lança algo, em busca de alguma coisa.



Quem lança a rede ao mar busca apanhar o peixe.



Quem lança egoísmo recolhe solidão.



Quem lança inimizade recolhe inimigo.



Quem lança mentira recolhe ilusão.



Quem lança ócio recolhe pobreza.



Quem lança discórdia recolhe batalhas.



Quem lança má vontade recolhe desamparo.



Quem lança luta recolhe a guerra.



Quem lança ódio recolhe as suas próprias sombras.



Cabe a cada um escolher o que lançar.



Mas, a cada um caberá o que colher em sua rede.



Somos responsáveis pelas nossas “pescas” na vida.



Não adianta apontar outros como culpados dos resultados dos nossos atos.



Pois, é através deles que aprendemos a diferenciar:



O que nos torna humano ou feras em forma de homens.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Levanta-te.


Levanta-te.



Dê-me tua mão e te levanta.



Ouve meu apelo e te levanta.



Escuta meu chamado e te levanta.



Não te deixes abalar pela dor e te levanta.



Não poderá ficar ai pela eternidade, te levanta.



A vida continua a ocorrer, te levanta.



A luz do Sol renasceu em novo dia, te levanta.



As pessoas, apesar de... Caminham, te levanta.



Na tua dor, há dor maior que a tua, te levanta.



Não te amofina pelo que te machuca, te levanta.



Não te entregas a derrota, te levanta.



Se sentes o aguilhão da desilusão, te inspira, e te levanta.



Deus não te criou para desistires.



Mas, para seres um guerreiro de luz.



A iluminar aqueles que estão em maior escuridão que a tua.



Levanta-te


































segunda-feira, 14 de março de 2011

Perene Paz?

Nesse mundo não há paz perene.



Pois tudo muda.



Não há paz na beleza.



Pois ela finda.



Não há paz na riqueza.



Pois ela acaba.



Não há paz na saúde.



Pois ela se esvai.



Não há paz na paixão.



Pois ela machuca.



Não há paz na maternidade.



Pois ela preocupa.



Não há paz no sucesso.



Pois ele passa.



Não há paz na vida.



Pois ela fenece.



Não há paz nas idéias.



Pois elas mudam.



Não há paz no vicio.



Pois ele destrói.



Não há paz na felicidade.



Pois ela se extingue.



Não há paz no amor.



Porque ele se modifica.



A única paz possível.



É a união com o eterno.



Com a bem aventurança.



Com a nossa elevação.



Ao mundo dos espíritos puros.



Em serviço a Deus e a sua criação.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Nossa escuridão.

Nossa escuridão.



Hoje encontrei tristes irmãos desencarnados.



Que sem luz própria e sem buscá-la.



Vieram cobrar a minha própria luz.



Não a tenho... Pouco fiz para acender em mim nem que fosse uma luz de vela.



Perdão irmãos. Não posso auxiliá-los.



Pois, a escuridão que os cercam a mim cerca também.



Mas, se desejam, como eu desejo.



Acender na alma a luz, nem que seja da chama de um fósforo.



Vem buscar Jesus, em cada ato que façamos.



E mesmo em nossa infinita escuridão.



Iluminaremos um pequenino pedaço do universo.



Um cantinho do nosso coração.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Bênçãos, provas, expiação.

Recebes a esta benção que a ti parece tão pouco.



Recebes essa prova ou expiação.



Recebe-as de coração aberto e feliz.



Pois, mesmo que te pareça dolorosa agora.



Poderá ser a semente da tua melhora.



Nem tenha autocomiseração.



A vida é alegria e tristeza.



Como em tantas canções.



Abre teus braços para receberes o que vier.



Pois, o que te chega é do teu merecimento.



Só ora para compreender os acontecimentos.



E assim, aumentado o nível da tua compreensão.



Terás visão mais clara do teu destino.



Consciência dos acontecimentos que te cercam e porque te cercam.



Verás que essa visão mais abrangente te trará paz e consolo.



Pois, a verdade, a compreensão, o conhecimento libertar-nos da dor da ignorância.



Da revolta da não aceitação dos caminhos aos quais parecemos ser empurrados a trilhar.



Que ferem nossos pés, cansa nosso corpo, magoa nosso coração, entorpece nossa mente.



Mas, purifica nossa alma.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Abençoas.



Meu Deus.



Abençoa a todos.



Que por ti clamam.



E que a ti reclamam.



Que estão felizes.



Ou infelizes.



Que sorriem.



Ou choram.



Que amam.



Ou odeiam.



Que salvam.



Ou que aniquilam.



Que criam.



Ou destroem.



Que estão na Luz.



Ou que estão nas Trevas.



Que te buscam.



Ou de Ti fogem.



Abençoa Senhor.



A todos nós.



Que somos sombra e luz.



E convivemos com os dois lados da moeda

domingo, 6 de março de 2011

Esperando um anjo.

Anjo olha para mim.



Aceita meu convite.



Vem ao meu encontro.



Não tarda.



Já há tanto conclamo tua presença.



Esperava-o em meu berço de criança.



Com olhos postos no telhado.



Atenta a qualquer barulho de asas.



Que não fosse dos morcegos e coruja.



O tempo se foi.



O berço foi trocado pela cama.



Mas, continuei a te esperar.



Na mocidade orava pela tua chegada.



Esperava-o até o sono me vencer.



E pela manhã buscava alguma prova de tua presença.



Fui em busca da vida.



Tive meus filhos.



E pedia para que nos viesse ver.



Era como o recomeço.



Era a mesma espera.



Ha! Meu anjo como desejei tua presença em tantos momentos tristes.



Ou para dividir contigo minhas alegrias.



O tempo se foi.



Os filhos se foram.



O esposo se foi.



Meus pais se foram.



Meus irmãos se foram.



E ficamos eu e tu.



E nesse último momento.



Que sei ser o último.



Vem anjo!



Que eu possa ver teu corpo de luz.



Tuas asas douradas.



Teus olhos de amor.



E sendo atendida a velha senhora estende as mãos para o vazio.



Sorrir. Dá seu último suspiro e despede-se da vida.