Pequenos poemas d'alma

Pequenos poemas d'alma
Nas palavras tortas, cheias ou ocas o murmurio fascinante de minha alma.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Vida de passarinho.




Gorjeiam os pássaros nas árvores em cantoria matutina.



Alguns se elevam em vôo ao céu azul cristal.


Revoam as copas densas das arvores, em círculos perfeitos, como um balé.


Outros pousam e abrem seus sons saudando o amanhecer.


São cores com asas que cantam e revoam.


Enchendo o céu de sons.


Espetáculo pequeno e grandioso.


Mais um paradoxo da natureza.


Nos galhos mais altos estão os ninhos.


Onde filhotes famintos piam.


As mães e pais se agoniam.


E partem em busca de alimento.


Voltam um ou outro pro seus filhos.


E os alimenta com cuidado e carinho.


Um gavião corta o ar.


E possivelmente seus corações desembestam.


Mas, ele passa tranqüilo em seu vôo majestoso.


E afasta-se meio as nuvens.


O perigo passou.


E passado o perigo novamente alegres retornam ao seu coral de pios.


É como a vida.


Amanhecemos, trabalhamos, criamos prole, enfrentamos perigos...


Mas, sempre o mal passa.


E voltamos a nossa paz e momentos felizes.

2 comentários:

O Baú do Xekim disse...

OLÁ.

NUNCA NOS ENCONTRÁMOS NOS BLOGS, MAS QUERO DEIXAR AQUI O DESEJO DE QUE TENHA UM LINDO FINAL DE ANO, E QUE O NOVO TRANSFORME SUAS ESPERANÇAS EM REALIDADE.

FELIZ ANO NOVO.
UM BEIJINHO.

conceição fittipaldi (Mallika) disse...

Para você tudo de bom. Muitas realizaçoes, amor, saúde, paz.
Abraço fraterno.