terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Sandice.


Quem sabe outra hora voltarei.

E em melhores condições estarei.

Então, serei melhor pessoa.

Amigos verdadeiros farei.

Felicidade duradoura trarei.

Hoje passo aqui rapidamente.

E minha mente se distrai com o mundo.

Como um brinquedo novo recebido.

Como uma nova canção a ser aprendida.

Ou um novo caminho a ser percorrido.

Mas, vá lá que me acuses.

De ser fútil aos extremos.

Da vida nada levar a sério.

Mas, assim decidi meu amigo.

Nessa vida ser assim.

Descartável como velhos amores.

Sem peso, sem pudores.

Só brincadeira, sem dores.

Perdi uma chance.

Com certeza?

Pois, em meu riso e alegria.

Abriguei os que estavam na dor e letargia.

De vidas amarguradas e doentias.

Quem sabe servi assim para alguma coisa?

E teu julgamento esteja não tão certo.

Pois, terei lançado sementes de ventura.

Nas almas recobertas de desdita.

E que nos momentos de minhas sandices.

Alegrei os corações desses infelizes.


3 comentários:

Runa disse...

O riso e a alegria são do que melhor a vida nos dá. Se a tua sandice é alegrar os corações infelizes, então continua, amiga. Estás no caminho certo...

Beijos

Runa

conceição fittipaldi (Mallika) disse...

Obrigada pela visita e pelas palavras. Paz Profunda.

Eduarda disse...

Se a loucura é alegria e felicidade, então somos todos loucos e felizes.

bj