segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Caminhos


Quantos cruzaram essa mesma estrada que hoje cruzo.
E sentiram a mesma dor e mágoa.
 
Que hoje esconjuro.
 
Quantos sangraram os pés na dura caminhada.

E tornaram firmes seus passos.

Em meio à rudez que hoje passo.

 
Quantos pensaram em desistir.

 
E sentaram a beira do caminho.

 
Mas, desistiram e seguiram a caminhada.

 
Quantos choraram nas veredas.

 
Por se sentirem sozinhos.

 
Como eu um pássaro sem ninho.

 
Quantos pés pisaram essa trilha.

 
Em busca dos sonhos.

 
Enquanto a vida passava e os corroíam.

 
Quantos cresceram na viagem.

 
Quantos se iluminaram na romagem.

 
Quantos... Quantos.

 
E agora no fim uma encruzilhada.

 
Que caminho seguir.

 
Qual a estrada.

 
Pergunto aos meus pés cansados.

 
A minha alma envelhecida.

 
E ela responde.

 
Qualquer um.

 
Pois todas te levarão um dia.

 
Ao teu Pai celeste.

 
A tua angelitude.

 
A tua plenitude

2 comentários:

PRECIOSA disse...

Os caminhos escolhidos devem ser bem visiveis, dando a certeza de ser um bom caminho.
Devemos plantar amor para colher carinho, devemos não duvidar que existe um DEUS para iluminar nosso destino....
Adorei seu pedacinho de encanto
Te sigo com carinho

Preciosa Maria

conceição fittipaldi (Mallika) disse...

Agradeço suas palavras e visita.
Abraço fraterno.