segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Quão seco está seu coração?

Quão seco está seu coração?

Quanto ele já deu para ser preenchido?

Como já se doou para ser reconhecido?

O que já fez para ser tachado de bom?

Qual falha perdoou para ser visto como compreensível?

O que ele esqueceu para não ser chamado de vingativo?

Quantas lágrimas secou enquanto chorava por dentro?

Que ilusão criou para esquecer o mau trato?


Fez isso porquê?

Querias ser aceito?

Querias ser amado?

Querias pertencer a um grupo?

Querias tua presença desejada?


Para que?

Para ser usado?

Para ser capacho?

Para ser pisado?

Para ser maltratado?


Não te valia ser tu mesmo?

Com erros e acertos?

Luz e sombra?

Amor e ódio?

Abraçando teus dois lados?

Equilibrando o que sois?

E não tentando ser o que não és!


Que te amem por ti.

Amem-te como sois.

E não pelas máscaras que usas.

Para esconderes tua alma entristecida.

Teus monstros adormecidos.

Teu frágil amor.

(visite:
Poemas e Encantos II )



2 comentários:

Karolina disse...

uhhh! adorei a profundidade. a urgência do pedido de sinceridade.

aff... ainda nao consigo acessar seu outro endereço, (vou continuar tentando). Porque vc nao me passa só o nome do blog q eu procuro no google.

olha, meu blog vai ficar fechado durante essa semana, mas o tagboard vai ficar lá caso alguem queira deixar recado.

Meu abraço
minha força
uma ótima semana

Poemas e encantos disse...

OI, Karolina.

é só da um clik em cima das palavras: visite poema e encantos II.

boa sorte no que vais fazer essa semana. abraço fraterno.