terça-feira, 12 de agosto de 2008

Teia

Teia.

Pai ajuda-me a tecer

A trama da minha vida

Com doces fios

Cheios de maravilhas

Por Vós doados eternamente

No passado, no futuro, no presente.

Que seja fina a minha trama

Para que quem nela caia não se machuque

E delicie-se com meu mel

Recebido de Ti

Usado por mim.

Pai.

Que eu possa aproveitar

A matéria prima mais louvável

Mais, doce e indispensável.

A vida de qualquer ser

Que une plantas, bichos e homens.

O universo num bailado constante

Teu amor em cada ser.

(visite:
Poemas e Encantos II )




2 comentários:

Elzamiga disse...

Querida Mallika, bom dia!
Amei o blog.
Os poemas são belos e cheios de suavidade.
Parabéns e muito sucesso.
Paz e Bençãos,
Elzamiga

Poemas e encantos disse...

Obrigada.

Pelas palavras e visita.

Volte sempre.

Abraço fraterno.