sábado, 26 de julho de 2008

Destronei Deus.



Destronei Deus.

Do seu trono de ouro e brilhantes.

Do seu cajado de diamantes.

Da sua coroa de marfim.

Das suas vestes de fios de ouro.

Das nuvens extremamente brancas e brilhantes.

Da sua beleza incomparável.

Da sua barba branca inigualável.

Destronei Deus.

O coloquei no homem que puxa carroça.

No moleque que cheira cola.

No louco da rua.

Na pequena prostituta.

No menor abandonado.

No feto no lixo jogado.

No ancião abandonado no asilo.

Em todos os não nascidos.

Nos que se foram sozinhos sem carinho.

Em cada irmão adormecido.

Pura verdade que Deus está em tudo isso.

Que é preciso mudar nosso olhar de Narciso.

E na feiúra da vida vê Deus por nós esquecido.

(visite:
Poemas e Encantos II )

2 comentários:

Carlos Lopes disse...

Vivê-Lo em cada Olhar com que nos cruzámos, em cada flor, em cada onda.Grato por encontrá-Lo sempre nas tuas palavras.

Beijo

Poemas e encantos disse...

Obrigada Carlos pela visita.

Na minha busca, não O quero só em minhas palavras, mas, na minha mente, no meu coração, nas minhas ações.
Deus está em tudo. Mas, pequenina como sou sinto dificuldade em encontrá-lo.
Estive um segundo com Deus e trocaria tudo para viver eternamente nessa ananda.

Abraço fraterno.