domingo, 2 de setembro de 2007

Conduz-me.








Conduz-me...



Pelos precipícios escuros da minha alma.
Pelas veredas difíceis do meu orgulho.
Pelas estradas tortuosas da minha fragilidade.
Pelos caminhos espinhosos que semeei.

Conduz-me...

Entre os homens de má fé.
Entre as mulheres fúteis.
Entre os jovens irresponsáveis.
Entre os anciões sem sonhos.

Conduz-me...

Pelas ilusões da vida.
Pelos planos inatingíveis.
Pelos sonhos impossíveis.
Pelos desejos sem fim.

Conduz-me...

Para encontrar Teu caminho.
Para saber me portar sem desalinho.
Para intentar o que possa conseguir.
E desejar só a Ti.

Nenhum comentário: