quinta-feira, 12 de julho de 2007

Sobre a morte.


Por que sofres?
Por acaso não sabes que a morte é a única e verdadeira certeza do homem sobre a terra?
Não a viste já a ocorrer milhões de vezes?
Não assistes teu tele jornais, não lês teus diários jornalísticos.
Não já te despedistes de amigos e parentes?

Não sofras por algo que é imutável.
Todos nós teremos que ir.
Todos nós realizaremos a passagem.
E feliz daqueles que puderam nos acompanhar na jornada terrestre.
Que se tornaram nossos amigos, que nos auxiliaram na caminhada.

Felizes serão todos aqueles que atuaram segundo a lei divina do amor
E estiveram presentes nas horas difíceis da separação do corpo da carne.

Benditos braços que ampararam o último suspiro.
Ouvidos que escutaram os lamentos dos moribundos.
Mãos que aliviaram as dores.

Não sofras.
Acostumai a dizer adeus.
Um dia serás tu.
Que entre os brancos lençóis hospitalares ou quem sabe em local inusitado.
Serás retirada dessa realidade e transportada a uma nova vida.

Compreenderás a tolice dos sofrimentos perante a morte.
Saberás quão inúteis todas as lágrimas e quanto é custoso ouvi-las os que partiam.

Busca teu equilíbrio e ora.
Para que nos últimos momentos possam todos, sem exceção,
Contar com uma prece, um olhar amigo e um desejo de que vão em paz.

Assim seja!

2 comentários:

luiza {pseudonimo} disse...

li teu blog quase inteiro.teNs uma alma mto bonita.

Poemas e encantos disse...

Obrigada pela gentileza.
um abraço.