Pequenos poemas d'alma

Pequenos poemas d'alma
Nas palavras tortas, cheias ou ocas o murmurio fascinante de minha alma.

domingo, 22 de julho de 2007

Perdão


Perdão.

Concede teu perdão a todos.
Não economize tua comiseração.

Cada dia tem seus acertos e erros.
Cada hora sua recuperação.

Se não perdoares com presteza aos outros.
Como na tua hora exigirás perdão?

Dá aos outros o que para ti desejas.
Pois, assim a lei ensina, meu irmão.

E fazendo-o com certeza.
Em todos te cresce a estima.

Verão em ti a beleza.
Da paz, do amor e da harmonia.

Aquele que não pragueja.
Não traz dor só alegria.

Nenhum comentário: