Pequenos poemas d'alma

Pequenos poemas d'alma
Nas palavras tortas, cheias ou ocas o murmurio fascinante de minha alma.

segunda-feira, 21 de maio de 2007

Viva a vida como ela é.


A cada dia um novo desafio.

A cada noite um sono reparador.

A cada dor uma alegria.

Se estivermos de olhos abertos.

Ou ela foge feito pássaro preso à mão frouxa.

Viva como se deve viver.

Sem nada esperar.

Plantando o que possa.

Colhendo o que é justo.

Amando os amigos.

Esquecendo os que não gosta.

Perdoando a si mesmo pelas suas falhas.

E vendo nos outros os seus erros.

Viva de acordo sua consciência.

Até onde ela pode alcançar.

Chore em dias tristes.

Esqueça pra poder continuar vivendo.

Nada faça que não lhe seja pedido.

Não atenda a quem não quer realmente.

Ficaria dias dizendo como vivo.

Mas preciso ir a vida.

Então, me despeço.

Nenhum comentário: